“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. ISAÍAS 9:6
Um dia Deus resolveu deixar seu trono, se esvaziou de si mesmo e se fez criança. Sim! Ele tornou-se um bebezinho carente de afeto, cuidado, peito e dedicação. A indefesa criança nascida na periferia do mundo e parida numa manjedoura revela que é nos espaços onde a miséria e a antivida mostram suas garras mais opressoras que o Criador despeja sua graça solidária para com os oprimidos.
Assim é Deus… Na imagem de uma criança, o Pai revela que sua prioridade é colocar no centro do palco de nossas agendas os pequeninos, pois delas é o Seu Reino. É por isso que todo discípulo de Jesus é renascido do ventre do Espírito para que sejam eternos meninos e meninas. Cheios de vida e pureza. Sem máscaras ou desejos de poder e controle. Transparentes, frágeis e dependentes de seu Pai Celeste…
Maria, mãe do Salvador, ofereceu ao seu filhinho todo carinho e dedicação que são próprios não apenas de uma mulher que colocou outro ser no mundo, mas ciente que toda criança é a maior expressão da presença e do amor de Deus no mundo. Ela sabia bem que elas não são miniaturas de adultos, mas seres que nos remetem para a verdade essencial que a vida é sagrada!
Ela o insere na vida não apenas lhe dando um nome, mas a espaços onde ele encontra plena aceitação, como no lar e no templo, por exemplo. Assim Jesus foi “ crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens” (Lucas 2: 52). Mas o que nós estamos fazendo para que as nossas crianças cresçam em estatura e graça diante de Deus e das pessoas?
Hoje crianças se tornam alvo do doente do mundo dos adultos, onde dez milhões de crianças alimentam a rede de prostituição e turismo sexual do planeta. São escravas da indústria vil do mercado ávido por lucro fácil, pois somente no Brasil, mais de meio milhão de crianças são exploradas como trabalhadoras. Muitas das que nascem na periferia de nossas cidades, tem seu futuro roubado pela falta de perspectiva de uma vida minimamente decente.  Cerca de 500 mil com até cinco anos morrem anualmente no Brasil, sendo que 30% das mortes são causadas por falta de saneamento.
O Deus que se fez menino nos delega a responsabilidade de ser voz em favor da criança e adolescente em situação de risco. Nós, da Rede FALE, desafiamos a todos para orar de olhos abertos e reconhecer em cada criança que hoje sofre a imagem de Jesus.
Juntemos nossas vozes em oração e ação para que de mãos dadas peçamos a graça de fazer com destemor a vontade de Deus no mundo, e como crianças encantadas, possamos embalar nossos sonhos de um novo mundo onde “morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará”…
Em Cristo, que transformoseia nossa vida de modo que sejamos abundantes de vida, plenos de esperança e sedentos por justiça!
—————————————————————————————————–
Texto publicado no Boletim de oração da Rede FALE –  JUNHO 2010
Anúncios